Pinhalzinho

24º

14º

Maravilha

21º

11º

São Miguel do Oeste

21º

11º

Chapecó

23º

12º

Pessoas que bebem café demais podem ter dificuldade para expressar emoções

Se você costuma ter dificuldades para encontrar as palavras certas para expressar seus sentimentos, não consegue sentir empatia pelas emoções alheias e costuma aguardar ansiosamente pela sua próxima dose de café, saiba que ter todos esses traços ao mesmo tempo pode não ser mera coincidência. Segundo estudos recentes, foi encontrada uma ligação entre o consumo excessivo de cafeína com a alexitimia, característica psicológica cujo nome em grego significa “falta de expressões para sentimentos”.

Pessoas alexitímicas possuem personalidades caracterizadas por uma grande dificuldade em reconhecer ou demonstrar emoções. “Alguém com esse traço poderia falar que está com dor de barriga quando na verdade está passando por um momento de tristeza”, explica o pesquisador Mike Lyvers da Bond University, da Austrália.

Segundo um estudo recente de Lyvers e sua equipe, há um elo visível entre a alexitimia e o consumo excessivo de café, embora não esteja claro quais fatores genéticos ou ambientais estejam envolvidos no surgimento de traços alexitímicos em uma pessoa. Ainda assim, os pesquisadores acreditam fortemente que é o traço de personalidade que estimula o vício por cafeína, e não o contrário.

 
 

Saindo um expresso triplo

Lyvers e seus parceiros entrevistaram 106 estudantes universitários sobre seus hábitos de consumo de cafeína e os fizeram responder uma série de questionários que mensuravam sua suscetibilidade à ansiedade e alexitimia, entre outros indicadores psicológicos. Os resultados indicaram que os participantes que tiveram pontuações altas nos testes de alexitimia costumavam consumir quase o dobro da cafeína que os outros ingeriam por dia.

Os estudantes alexitímicos consumiam uma média diária de 500 miligramas de cafeína, o que equivale a beber três canecas e meia de café. O estudo especula que o desejo deles de ficar ligados pode ser causado pelas propriedades de aumento cognitivo da cafeína – com o efeito colateral de maiores índices de ansiedade, condição que aflige muitos dos alexitímicos.

Vícios mais difíceis

A alexitimia costuma ser associada com vários outros comportamentos comuns, sendo que alguns são bem menos benignos (e saborosos) do que beber café. “Uma porção significativa dos alcoólatras e viciados em drogas são alexitímicos, e isso parece estar ligado ao fato de eles terem respostas piores aos tratamentos oferecidos”, diz Lyvers.

Ele acredita que uma compreensão melhor da relação entre a alexitimia e as substâncias que alteram a psique humana pode levar à criação de formas mais eficientes de tratar vícios em pessoas com esse traço de personalidade. Atualmente, Lyvers está trabalhando em um estudo sobre as expectativas sobre a cafeína e a alexitimia, o que pode facilitar o entendimento do que leva esses indivíduos com dificuldades para se expressar a ingerir mais café.