Pinhalzinho

15º

Maravilha

14º

São Miguel do Oeste

14º

Chapecó

15º

O nosso $ encolhe, o deles $ aumenta!

Olá amigos(as)...desta vez a conversa é sobre o aumento salarial dos Ministros do STF, que vai fazer com que os nossos nobres congressistas aumentem os deles também.

 

O nosso $ encolhe, o deles $ aumenta!

O aumento dos vencimentos dos ministros do Supremo Tribunal Federal de R$ 33,8 mil para R$ 39,3 mil mensais, aprovado pelo Congresso Nacional, deve gerar, como sempre, um efeito cascata. Parlamentares já se estão se mexendo para elevar seus salários para o mesmo valor, que é o teto do funcionalismo. Aumento deve girar em torne de 16%, bem mais que a inflação. Chora bebê brasilis!

 

De quebra estão se preparando para aprovar medidas que retiram direitos dos mais pobres. Vão tentar aprovar o projeto que amplia a terceirização e legaliza a contratação de prestadoras de serviços para executarem atividades para as quais outras empresas foram constituídas (atividades-fim) e não apenas serviços secundários. Também outro projeto permitindo que convenções e acordos coletivos de trabalho negociados entre patrões e empregados prevaleçam sobre a legislação trabalhista.

 

Fato um é que o Congresso Nacional nem pensa em discutir que o sacrifício para a saída da crise deva ser maior entre os mais ricos do que entre os mais pobres. Mas isso, pelo menos, diz muito sobre para quem eles trabalham. Certamente não é para o povão.

 

Fato dois é que a elite política segue desfilando nua. No máximo veste um tapa-sexo com os dizeres: “Foi você que me colocou aqui'' - Chupa que é de uva!

 

Aposentadoria perto da morte, ou depois...

Quem defende a imposição de uma idade mínima para a aposentadoria não costuma carregar sacos de cimento nas costas durante toda uma jornada de trabalho, cortar mais de 12 toneladas de cana de açúcar diariamente e limpar pastos ou colher frutas sob um sol escaldante. Normalmente quem defende somos nós, jornalistas, cientistas sociais, economistas, administradores públicos e privados, advogados, políticos. Afinal de contas, o que são 65 anos para nós, que trabalhamos em atividades que nos exigem muito mais intelectualmente?

 

Como a ciência não inventou peças de reposição para todos os órgãos que sejam da mesma qualidade que as originais de fábrica para a máquina humana, os corpos desses trabalhadores já estão no limite após 50, 60 anos garantindo lucro para outras pessoas. Os sábios que estão discutindo no Ministério da Fazenda a questão da imposição da idade mínima (65 anos) como requisito, além, é claro, do tempo de contribuição e/ou de serviço, deveriam ter que explicar a proposta, cara a cara, para um grupo de cortadores de cana ou de pedreiros. O pessoal que desconfia que essa história de aumento da expectativa de vida não vale para eles.

 

Por isso, a reforma da Previdência Social não pode achar que o Brasil é um grande escritório com ar condicionado. Há milhões de pessoas, fundamentais para o crescimento do país, que se esfolam a vida inteira e não devem ser deixadas na beira da estrada quando deixarem a população economicamente ativa. Caso contrário, para que temos um Estado e um país?