Pinhalzinho

28º

19º

Maravilha

28º

18º

São Miguel do Oeste

28º

18º

Chapecó

27º

18º

Liberdade na internet cai globalmente

A liberdade na internet diminuiu pelo quarto ano seguido em 2014. Essa foi a conclusão do 5º relatórioanual da organização Freedom House, divulgado em 3/12. A ONG americana analisou 65 países entre maio de 2013 e maio de 2014. De acordo com o relatório, a liberdade na internet caiu em 36 deles.

Entre as razões para o declínio da liberdade na rede estão as ações de governos contra a liberdade de expressão online, incluindo ameaças e punições contra jornalistas, cidadãos e blogueiros, e o aumento da vigilância online.

Para analisar a liberdade na internet, a Freedom House concede uma pontuação de zero a 100 para cada país, sendo que zero classifica a internet no país como “livre” e 100 como “o pior cenário possível”.

Na edição de 2014, a Islândia (com 6 pontos) e a Estônia (8) obtiveram os melhores resultados. Já Irã (89), Síria (87) e Cuba (84) foram os países com a pior pontuação, o que significa que possuem pouquíssima liberdade na rede. Os EUA receberam 19 pontos, o que configura internet livre, apesar da divulgação dos detalhes do esquema de vigilância online praticado pela Agência Nacional de Segurança (NSA).

Repressão transparente

Uma das conclusões do relatório foi que o revés na liberdade na internet foi maior neste ano do que nos anteriores. Uma das razões foi que, diferentemente do passado, quando os governos adotavam práticas secretas de controle da internet, agora os países estão adotando leis que legitimam a repressão e criminalizam divergências online. “Como resultado, mais pessoas estão sendo presas por causa de atividades na internet. Meios de comunicação online estão sendo cada vez mais pressionados a se autocensurar ou enfrentar ações legais”, afirma o estudo.

Com isso, a mídia é uma das partes mais afetadas. Blogueiros na Jordânia, Rússia e em Cingapura são obrigados a obter licenças com seus governos para postar conteúdo. Jornalistas online foram presos em 25 dos países analisados.

Turquia, Ucrânia e Rússia são os países que tiveram as piores quedas na liberdade online. Em Moscou, o governo passou a restringir as ações na internet com novas leis que permitem que se retire do ar sites que critiquem suas políticas, enquanto na Turquia ocorre um bloqueio nas redes sociais e ataques contra sites de notícias que façam oposição ao governo.

 

FONTE: Tradução: Pedro Nabuco, edição de Leticia Nunes. Informações de Anita Komuves [“Internet Freedom Declines Globally, Report Says”, American Journalism Review, 5/12/14] e Sanja Kelly, Madeline Earp, Laura Reed, Adrian Shahbaz e Mai Truong [“Tightening the Net: Governments Expand Online Controls”, Freedom House]