Pinhalzinho

21º

16º

Maravilha

19º

17º

São Miguel do Oeste

19º

17º

Chapecó

18º

15º

Dia da Mulher: Muito além do Dia da Marmota!

Olá amigos(as)...ontem me recordei que ainda não escrevi nenhum texto aqui sobre a mulher, ou o dia da mulher. Talvez pela carga machista que a nossa sociedade ainda põe nas costas de todos os homens. Mas é hora dessa estrutura patriarcal ser rompida.

 

Muito além do Dia da Marmota!

Chega o 8 de março (Dia Internacional da Mulher) e elas, acredito, sentem-se como no filme O Feitiço do Tempo, aquele com o Bill Murray: ficam presas a um inescapável Dia da Marmota, que se repete vezes sem fim, em uma espécie de bug na malha cósmica do tempo. A diferença é que se trata de um mesmo dia que se repete mais ou menos da mesma forma todos os anos.

 

Homenagens toscas que ignoram completamente o significado político da data, mensagens de como são lindas e multitarefas...muitas vezes congratulações vazias. Em especial dos machões. A data relembra a luta por igualdade de direitos, que vem desde 1908. Também a luta para lembrar que mulher não existe para ser enfeite. Que há reivindicações importantes. Lembra que ganhar flores, chocolates ou pedidos de desculpa não resolve os problemas de violência.

 

Mas isso também é dito todos os anos. Olha aí a maldição do Dia da Marmota outra vez. No filme, o personagem de Bill Murray tem pelo menos a chance de agir e falar de outra maneira quando o dia se repete. Do lado de cá, apenas repetimos as mesmas falas todo ano. Já as ações efetivas tardam. Continuam, infelizmente, as tragédias familiares encobertas pela cegueira funcional. Nesta sociedade de homens foi escolhido um dia para elas se manifestarem. Numa sociedade justa, entretanto, todos os dias é dia de todos falarem. Não me levam a mal. Levantar essa provocação é necessário.

 

Pinhalzinho está dando exemplo de que a voz feminina deve romper o 8 de março. Temos o Universo Feminino no dia 20. Muitos homens já deram uma espiadinha no evento e puderam constatar que a felicidade está nas coisas simples. No rosto daquela mulher que foi impedida pelo marido a vida toda de passar um batom nos lábios. Ou daquela que sempre pensou que tirar uma fotografia bem arrumada era coisa de novela.

 

Temos o Conselho Municipal da Mulher (COMDIM) neste mês realizando uma extensa pesquisa para traçar o perfil da mulher pinhalense. Através de questionário online (página do município) e de pesquisas nos bairros, associações, comunidades e empresas, todos sigilosos, quer conhecer a mulher de Pinhalzinho em sua totalidade. Tudo para traçar políticas públicas que melhorem as condições sociais e nivelem os gêneros.

 

Lembremos que a voz faz parte de nós humanos. Através da fala, criamos, movimentamos e transformamos as realidades. Suprimir a voz e a energia feminina já causou estragos suficientes em nossa sociedade. Precisamos de homens e mulheres ativos, equilibrados, presentes em todos os processos da vida.

 

Aos homens: conhecer a mulher vai muito além do que se vê. Conhecendo o feminino se conhece a si mesmo. Às mulheres vale o contrário. Como uma bateria ou pilha ou mesmo a eletricidade, que só funciona corretamente com as duas polaridades, assim somos nós. Que sejamos mais que homens presos ao Dia da Marmota. Que o feitiço do tempo possa ser usado como período de ensinamento para saber falar, calar e amar.