Pinhalzinho

30º

19º

Maravilha

30º

19º

São Miguel do Oeste

30º

19º

Chapecó

29º

18º

Os persistentes irmãos Lemes

        Os irmãos Lemes tanto persistiram que chegaram a uma final de Campeonato de Futebol de Campo. Valdenir é mais velho, nasceu no dia 07 de outubro de 1978 na cidade de Manoel Ribas-Paraná. Valderi o mais novo, nasceu no dia 20 de maio de 1986, na cidade de Candido de Abreu-Paraná. São filhos de Valdomiro e Tereza Lemes. No estado do Paraná os irmãos não jogavam futebol, apenas brincavam com bola na infância. Em 2000 Valdenir veio trabalhar e residir em Pinhalzinho. Um ano depois chegava a capital da amizade o irmão mais novo, Valderi desde quando chegou a Pinhalzinho foi se envolvendo com o futebol, o seu primeiro time foi a Portuguesa, naquela época  era comandada por Vilmar Vieira (o popular “Perereca”). O Valderi era um gurizão, e foi se acostumando ao jeito do Vilmar comandar a equipe, ficava fora do campo, xingando os árbitros de todos os palavrões possíveis e imaginário, em algumas oportunidades invadia o campo para reclamar da arbitragem de dedo em riste. Na Portuguesa, Valderi atuava como zagueiro, depois ficou um tempo parado, neste período o Valdenir tinha saído de Pinhalzinho e estava trabalhando e residindo em São Miguel do Oeste. O irmão mais novo continuou trabalhando e residindo em Pinhalzinho, e participava das competições municipais, futsal e futebol suíço com o nome de VL Pinturas. Retornando ao futebol ele fez uma parceria com a equipe do Independente para disputar o campeonato de futebol de campo, e montou a equipe aspirante. Valderi teve alguns transtornos com essa equipe. Dia de jogo, faltavam jogadores para completar os 11que saiam jogando, às vezes nem o jogo acontecia por falta de jogadores. Foi julgado e multado algumas vezes, pagou cestas básicas para a APAE, chegou um período em que as outras equipes não queriam jogar contra as equipes da VL Pinturas. Mas o persistente Valderi não desistiu, mesmo depois de cumprir 1 ano de suspenção de todas as competições municipal, por tentar agredir um arbitro. Anos depois ele fez uma parceria com o Esporte Clube 1º de Maio da Linha Pio X. No primeiro jogo do campeonato faltaram vários jogadores, e para não perder o cheque calção, a gurizada da equipe aspirante precisou jogar também na equipe principal, inclusive o Valderi que estava inscrito na equipe aspirante. Nas questões disciplinares, o pessoal da coordenação das competições municipal, quebraram alguns galhos do rapaz (em vez do cheque calção, ele pagava cestas básicas). Mas a paixão do Valderi pelo esporte é tamanha, que ele diz que jamais pensou em desistir. O irmão mais velho voltou para Pinhalzinho, e com a sua ajuda, o irmão mais novo nos parece que tomou juízo. Deixou a indisciplina de lado, soube organizar melhor as suas equipes, e este ano, com autorização do Perereca, refez a equipe da Portuguesa e como prêmio a sua persistência, está disputando o título da Série Prata.

Quando os irmãos resolveram participar do campeonato municipal de futebol de campo deste ano, nem fardamento tinha., recorreram ao Mario Kopchinski que gentilmente  emprestou o uniforme que o Atlético/Canarinho usou em 2015.     

        Além de todos os problemas enfrentados pelo Valderi dentro e fora do campo, ele, sozinho tinha que marcar o campo em dias de jogos, hoje ele não está mais sozinho, tem a colaboração do irmão Valdenir dentro e fora do campo. Imaginem a faceirice dos irmãos, com a chance da equipe conquistar o título, na primeira final de suas carreiras, embora saibam que tem um adversário forte pela frente (Bragantino), mas já que chegou a final, qualquer coisa é lucro!                                                                                                                          

 

Saudações Santista, e até a próxima matéria!