Pinhalzinho

24º

20º

Maravilha

23º

20º

São Miguel do Oeste

23º

20º

Chapecó

24º

19º

Neto disse que uma hora tinha que encarar a realidade, e Rui Costa falou em desafio.

Neto é um dos seis sobreviventes da queda do avião que matou 71 pessoas na Colômbia (entre eles, a delegação da Chapecoense), zagueiro vê momento de recuperação nesta sexta-feira. O diretor-executivo Rui Costa fala no desafio em mantar a equipe, e ainda aponta que teve de procurar profissionais de apoio em busca de reforços: 'Trabalho de 18 a 19 horas por dia'.

A sensação de recomeço bateu mais forte para Neto nesta sexta-feira, na Arena Condá. Um dos seis sobreviventes da queda do avião que matou 71 pessoas, dentre elas boa parte da delegação da Chapecoense, o defensor apontou que terá um 2017 no qual precisará de força de vontade para se superar:

- Tenho de encarar isso. Vou melhorar e representar esses caras, como eles eram, ou vou me afundar na depressão e na saudade. Só penso em coisa boa, sei que a gente comentava muito entre a gente coisa que a gente nem imaginava, que estaríamos na história do clube, com Deus ajudando a gente na final um time modesto e pouco conhecido. O time ficou na história, de certa forma tenho de melhorar minha mente.

O zagueiro disse que a reapresentação foi um grande passo para ele:

- Uma hora, eu tinha de encarar a realidade, me reapresentando aqui neste ano, alegre como sempre foi a reapresentação aqui. É um desafio para a minha vida, para recuperar a saúde e a mente diante do que aconteceu.

Mesmo de muletas, Neto se reapresentou na Arena Condá ao lado do restante do elenco, formado por jogadores da base e contratados para o ano da reconstrução. 

Rui Costa:

O diretor-executivo da Chapecoense, Rui Costa, não mediu palavras ao falar sobre o desafio de reerguer o clube visando a temporada de 2017. Em entrevista ao programa "Bate-Bola", da ESPN Brasil, o dirigente revelou que enfrenta o cenário mais desafiador de sua trajetória, por ser uma remontagem dentro e fora de campo: 

- É um cenário difícil, totalmente diferente que já enfrentei. Já passei por clubes que precisavam contratar cinco, ou necessidade de redução de custos. Nós tivemos que remontar praticamente uma equipe inteira. Além disto, perdemos profissionais de apoio, o Centro de Inteligência do futebol. Quem partiu tinha conhecimento de dados ligados ao clube. O desafio é muito grande.

Rui Costa afirmou que o clube vem trabalhando em várias frentes de trabalho para conseguir uma reconstrução rápida: 

- Nós temos várias frentes de trabalhos. Não quero exagerar, mas temos trabalho de 18 a 19 horas, com feitura de contratos, exames... Ontem, tinha fila para fazer exames médicos, porque são 14, 15 atletas novos, em um clube que tá se reestruturando.

O dirigente garantiu que o grupo ainda não está fechado. E ainda detalhou um momento simbólico de como a reapresentação foi marcada pela união:


- Quando o Neto entrou no espaço, todos os atletas, sem combinar, diminuíram o passo, para ele fazer parte. Isto mostra o que vai caracterizar esse grupo neste ano.

Entre as novidades, estavam nomes recém-contratados, como os zagueiros Andrei Girotto e Douglas Grolli, os laterais Zeballos e Diego Renan, os meias Dodô e Osman e os atacantes Rossi e Wellington Paulista.

Confira a lista de reapresentação da Chapecoense:



GOLEIROS
Elias 
Luiz Felipe 

ZAGUEIROS
Neto 
Grolli
Luiz Otávio 
Fabricio Bruno
Hiago
Guarapuava 
Scalon 

LATERAIS
Zeballos 
Diego Renan
Gabriel

VOLANTES

Moisés 
Moisés Gaúcho 
Andrei Girotto
Lucas Marques 
Andrei 
Lucas Mineiro

MEIAS

Neném
Martinuccio 
Nadson 
Dodô
Osman 
Bryan 

ATACANTES
Rossi
Wellington Paulista 
Niltinho 
Wesley Natã 
Perotti 
Lourency