Pinhalzinho

26º

19º

Maravilha

25º

19º

São Miguel do Oeste

25º

19º

Chapecó

24º

19º

Flavio Both

“De goleiro a árbitro do Tênis de Mesa nas Paraolimpíadas do Rio de Janeiro”
O Pinhalense Flavio Both nasceu na Linha Salete no dia 04 de maio de 1974. Quando ele tinha quatro anos, a família veio residir na Linha Volta Grande. Na infância ele, os irmãos e os vizinhos brincavam de jogar futebol no potreiro, com os pés descalços, com bolas artesanais, feitas com palhas de milho. Aos quinze anos Flavio estreou no gol da equipe Aspirante do Independente da Linha Coxilha. Também atuava no Esporte Clube 13 de Maio. Naquela época as duas equipes tinha bastantes goleiros, e aos 17 anos ele passou a atuar como centroavante. Antes de atuar como centroavante, ele teve uma passagem pela equipe de base do Ser Ajap, jogando dois campeonatos estaduais de categorias de base. Flavio jogou campeonatos municipais em Saudades pelo Independente da Coxilha, e em Pinhalzinho pelo Esporte Clube 13 de Maio (foto).

 

Pelo time da Linha Volta Grande ele jogou campeonatos regionais, até se machucar e parar de jogar futebol aos 19 anos. Após a contusão Flavio passou a ser treinador da equipe Aspirante do 13 de Maio, disputou campeonatos municipais e regionais, foi campeão regional, conquistando o título em Cunhataí, com direito a gol do atacante Cleto Schuster. Também foi treinador da equipe principal do 13 de Maio, e presidente do clube. Flavio era funcionário público em Pinhalzinho e em 2005 a convite do professor Fabricio Fontana veio trabalhar na Fundação Municipal de Esporte. Em 2008 a Horus Faculdades de Pinhalzinho começava o primeiro curso de educação física, e incentivado pelo professor Fabricio, Flavio foi cursar educação física. Por também ajudar na equipe da Pinhalense Futsal ganhou uma bolsa de estudo e se formou em 2012. Em 2009 na faculdade apareceu a oportunidade que mudaria a sua trajetória esportiva. O curso para árbitros de Tênis de Mesa. Incentivado pelo professor e coordenador do curso, José Zipper (em memória). Flavio confessa que não gostava de jogar Tênis de Mesa, fez o curso por precisar de horas de aulas práticas. Depois foi convidado pelo saudoso professor a arbitrar jogos.

 

Depois ele fez o curso para arbitrar jogos estaduais. Durante o período na faculdade ele arbitrava jogos, e procurava sempre que possível fazer novos cursos. Em 2011 foi convidado para arbitrar a Copa do Brasil de Tênis de Mesa em Maringá-PR. Lá no Paraná o convidaram para fez uma prova para ser árbitro nacional. Ele fez e não foi aprovado. Mas em 2012 surgiu novamente a oportunidade. Ele foi a Santos-SP fez a prova e dessa vez, foi aprovado com árbitro nacional em 2014. Ele foi árbitro do campeonato Sul-americano realizado no Paraguai. No mesmo ano surgiu a oportunidade de fazer o curso em Sorocaba-SP para árbitro internacional. Ele não passou. Mas com a disputa das Olimpíadas no Brasil, surgiu novamente a oportunidade e Flavio fez novamente o curso. E em janeiro deste ano, na cidade de Porto União ele foi aprovado como árbitro internacional White Badge. Flavio pretende estudar inglês e se aperfeiçoar, fazer novos cursos, e se tornar um árbitro top internacional. Flavio também atua na coordenação técnica da Federação Catarinense e na Liga Oeste de Tênis de Mesa, e reconhece a importância do professor Douglas da Silva no crescimento e desenvolvimento do Tênis de Mesa em Pinhalzinho.

 


O Pinhalense Flavio Both foi escolhido como árbitro do Tênis de Mesa nos jogos Paraolímpicos do Rio de Janeiro. Que vão acontecer entre o dia 07 e 17 de setembro de 2016.

 

 

Nomes na foto:                                                                                                                                                      

Em pé: Otávio Müller (Treinador), Gelson Simon (Neca), Rogério Wildner (Padre), Josivaldo Müller (Maneco), Gilberto Hendges (Beto),Amarildo Rossatto (Amaral), Gilmar Schwertz (Canhoto), Amauri Rossatto, Valdir Lauermann, Roque Gilmar Kappaun (Taiá), Antônio Geier (Mano) e Inácio Both.                                                                                                                            

Agachados: Valdecir Schwertz (Pidi), Eldir Elias Lauermann (Nano),                      

Edson dos Santos, José de Almeida (Keno), Valmir Hendges (Marajá),                    

Eduardo Urnau (Duda) e Flávio Both.

 

 

 

Saudações Santista, e até a próxima matéria!