Pinhalzinho

24º

17º

Maravilha

22º

14º

São Miguel do Oeste

22º

14º

Chapecó

23º

15º

A trajetória esportiva de Lewis Maté Weschenfelder Heineck

A história esportiva do pinhalense Lewis Maté Weschenfelder Heineck começa quando ele tinha 6 anos de idade, e o pai, o saudoso Valmir Heineck (Vampa) o pegou pela mão, leva-o ao ginásio Neuro Isidoro Bugnotto e o entregou ao professor Osvaldo para os primeiros treinos no futebol de salão, o professor Osvaldo trabalhava na CME de Pinhalzinho junto com o professor Marcos Pereira. Quando o professor Osvaldo saiu, o Lewis começou a treinar com o professor Ronaldo Marques, que foi o seu grande incentivador. Toda a sua formação, disputas de competições nas categorias de base foram com o professor Ronaldo Marques. Outro professor que foi importante em sua formação e o fez aficionado pelo esporte foi o seu tio, professor Milton Wojahn (Miltinho). Nos final dos anos 90 o Ser Ajap formou uma equipe sub 17 para disputar o Campeonato Estadual, Lewis fazia parte do grupo junto com Rafael Muller, Reinaldo (filho do treinador) e os irmãos Richard e Willian Becker. A equipe era comandada pelo professor Pedro Guimarães dos Santos, ficou em terceiro lugar no campeonato estadual, com os quatros jogadores sendo destaques na competição. E se aventuraram a fazerem um teste no União Sport Club na cidade de Itabirito Minas Gerais. Jogaram a Taça BH contra o Grêmio e o Cruzeiro. Depois de dois meses de experiência no futebol mineiro, Lewis, Rafa e Willian voltaram para Pinhalzinho, ficaram lá Reinaldo (que parou de jogar) e o Richard que seguiu carreira, atualmente atua no futebol Alemão.   

        Muito jovem Lewis começou a participar de campeonatos municipais, em 2003 foi vice-campeão atuando no Esportivo, perdeu a final para o Esporte Clube 25 de Dezembro da Linha Riqueza. Em 2004 o Esportivo deu o troco no Esporte Clube 25 de Dezembro vendo o campeonato municipal de futebol de campo, com o jovem Lewis fazendo parte do grupo comandado pelo treinador Dirceu Suzin. Logo depois ele foi cursar Educação Física em Santa Maria-RS, retornando em definitivo para a Capital da Amizade em 2009. Mas em 2008 quando ainda estava estudando em Santa Maria, a convite do amigo Lari Heinen (Chico Sabonero), foi inscrito na equipe do Juventude Esporte Clube e veio jogar só as finais, quando conquistaram o título municipal daquele ano. Em Santa Maria ele jogava futsal e futebol de campo. Em 2009 o Ser Ajap foi disputar o campeonato estadual de futebol amador, sob o comando dos professores Mita e Chip e o preparador físico Marcelo Mella, o Lewis atuava na zaga daquele time que fez um baita campeonato, ao lado de Stibe e Divan, perdendo a final para o Cometa em Itapiranga, após ter vencido o primeiro jogo em Pinhalzinho.  Depois de formado, em 2009 o convidaram a fazer um estágio na Associação Pinhalense de Futsal com o treinador Cristiano que o aconselhou a seguir a carreira de treinador de futsal. Com a saída de Cristiano e o fim da Associação Pinhalense de Futsal, Lewis fez parte do grupo que fundou a Adesp, trouxeram o treinador de fora, que não deu certo e Lewis assumiu como treinador. Depois de 5 anos comandando a equipe de futsal de Pinhalzinho, desgastado com dirigentes, jogadores e membros da impressa (incluindo este colunista), ele deixou a equipe Pinhalense, foi trabalhar em Serra Alta. Teve uma breve passagem pela equipe de Cunhataí. Aí surgiu uma oportunidade impar em sua vida de treinador, trabalhar no projeto Global Soccer no futebol de campo com o treinador Rodrigo Vicenzi Casarin (Chip), com quem ele diz que aprendeu muito, e construiu uma amizade que pretende levar para o resto da vida. Com o fim do projeto do futebol de campo, Chip o indicou ao Eder Popiolski que o convidou para trabalhar com as equipes de base da Associação Female de Futsal de Chapecó. Na última sexta-feira (16) a equipe principal da Female conquistou a Taça Brasil de Futsal com a participação dos Pinhalenses Lewis (como auxiliar técnico do Eder) e Amanda Rossatto (atleta), em destaque na foto. O professor Lewis Maté Weschenfelder Heineck sabe que é preciso crescer na dificuldade, ser humilde para evoluir e se fortalecer dentro das competições!

 

Saudações Santista, e boas festas a todos!