Pinhalzinho

31º

19º

Maravilha

29º

19º

São Miguel do Oeste

29º

19º

Chapecó

30º

18º

A história esportiva de Iloir Luiz Ruppelt (Tô)

Iloir Luiz Ruppelt é natural de Pinhalzinho, nasceu no dia 06 de abril de 1974, filho de Wilibaldo (em memória) e Loni Maria Ruppelt. Em casa ele é conhecido por Nenê, no meio esportivo é conhecido como Tô. A história esportiva de Iloir, o popular Tô, começou na quadra do Colégio José Marcolino Eckert, jogava com os pés descalço, na quadra de piso rústico, chegava em casa com os dedos dos pés todos esfolados, mas não parava de jogar.  Ele e os amigos jogavam num campinho de terra que tinha onde está localizada e sede da AABB de Pinhalzinho, disputavam torneios e campeonatos naquele campinho, e num campinho forrado de serragem, que ficava ao lado da antiga Cerâmica Floss. Nessa época já jogavam de Kichute, de Conga ou com o famoso tênis Chinesinho. Nos tempos do colégio ele teve como professores de Educação Física Jair Mariano e Olinto Strazzabosco, com quem ele jogava handebol e voleibol.  Aos 10 anos Tô foi para a escolinha dos Piazitos, treinar com Antonio Avelino Carvalho (o saudoso Tatita). Depois veio trabalhar na CME de Pinhalzinho com o professor Marcos Pereira, com quem ele diz ter aprendido muita coisa do futebol de salão. O professor Marcos, colocou um time de gurizada para disputar o campeonato municipal de futsal, contra as equipes força livre, adultas, os guris enfrentaram a forte equipe da Sipal, que na época representava o município em competições regionais, diz que enfrentar as equipes adultas, serviu de aprendizado para eles (gurizada) encarar as competições regionais e estaduais.

        A primeira equipe de futebol de campo que atuou, foi na equipe juvenil do Ser Ajap. Jogou na equipe aspirante até chegar à equipe principal, onde fez parte do grupo que conquistou em 1992 a IV Copa RBS-Meio Oeste (atual Estadual de Amador). Na equipe do Ser Ajap ele jogou ao lado de algumas lendas do futebol Pinhalense. Entre eles, Darci Santin, Dirceu Suzin e Felix Weber (Lebrão), com quem Tô diz ter aprendido muito, jogando no meio de campo ao lado do Lebrão. Nos anos 90 o Ser Ajap passou um período sem participar do campeonato municipal de Pinhalzinho, nesse período o Tô passou por uma cirurgia, quando voltou a jogar futebol foi atuar no Esporte Clube 25 de Dezembro da Linha Riqueza, jogou um campeonato para o Juventude Esporte Clube, depois foi convidado para jogar no Esporte Clube 13 de Maio da Linha Volta Grande, onde conquistou dois campeonatos municipais, e um campeonato regional na categoria aspirante. Em 2007 após a conquista do título municipal na categoria aspirante ele parou de jogar futebol de campo na força livre, continua até hoje jogando nos Veteranos no Esporte Clube 13 de Maio (Foto).                                                                                                                                              

       Iloir Luiz Ruppelt (Tô) tem uma história esportiva genuinamente Pinhalense, só jogou na Capital da Amizade. Conquistou título, jogando handebol no JAPI em 2007, foi levantador em equipes de voleibol. Conquistou títulos jogando futebol suíço, futsal onde foi artilheiro em 2012 na categoria veterano, e em 2016 jogou o campeonato municipal na categoria força livre e veterano com destaque, ficando em terceiro lugar na força livre e vice-campeão no veterano. Em 2017 ele estará nas quadras competindo em bom nível nas duas categorias.

Nomes na foto:                                                                                                                                                 

Em pé: Otavio Müller, Amarildo Rossatto (Amaral), Ivanir Wickert (Puba), Volmir Hendges (Marajá), Iloir Luiz Ruppelt (Tô), Francisco Benedetti (Chico Borracheiro), Inácio Both, Ilvenio Birck (Russo), Almir Rossatto, Carlos Hendges, Amauri Rossatto, Paulo Cezar Almeida (Chupim), Flavio Both e Geraldo Hanzen.                                                                                       

Agachados: Valdecir Bodanese, Antonio Vilson Koch, Gilson Menegotto, Josevaldo Luiz Müller (Maneco), Paulinho Schwaab, Ari Moré, Dirceu Tonatto, Bruno Simon e Claudir Montiel (Koda).