Pinhalzinho

31º

19º

Maravilha

29º

19º

São Miguel do Oeste

29º

19º

Chapecó

30º

18º

A bagunça continua: Del Nero afasta Marcus Vicente e volta à presidência da CBF

A ideia da cúpula da CBF é colocar o Coronel Nunes (foto) como presidente da casa.


Marco Polo Del Nero está de volta ao cargo de presidente da CBF. O cartola estava licenciado há pouco mais de um mês, desde 3 de dezembro, quando foi indiciado pela Justiça dos Estados Unidos por formação de quadrilha e participação em esquemas de propina. Marco Polo voltou a dar expediente na sede da entidade na última segunda-feira e confirmou a saída do interino Marcus Vicente, nomeado seu substituo, no final da tarde desta terça-feira.           O retorno de Del Nero, no entanto, não deverá durar muito. Em breve, Marco Polo pedirá nova licença e indicará Antônio Carlos Nunes, o Coronel Nunes, como seu novo substituto.

A manobra se deu porque Del Nero teme que seja punido pela Fifa ainda neste mês de janeiro. Com as mudanças de agora, ele garante o desejo de ter alguém de maior confiança à frente da Confederação. No caso, o Coronel Nunes. Caso fosse suspenso com Marcus Vicente no poder, poderia ficar "distante" das decisões da presidência.

"Venho a público dar uma satisfação, cumpri minha função como interino da CBF. Estava combinado que eu ficaria até hoje. Cumpri minha missão e estou aqui para dar uma satisfação. Vou dar continuidade ao meu mandato como deputado federal", disse Marcus Vicente, que volta ao cargo de ex-presidente, em vídeo divulgado pela CBF.

A saída, no entanto, não foi tão amistosa quanto informada na mensagem.

Afastado do prédio da CBF desde o início de dezembro e focado em sua defesa no processo da Justiça Americana, Del Nero voltou suas atenções para a Confederação ao ser informado por aliados que Marcus Vicente tentava ter acesso a documentos em gavetas e armários da sala da presidência logo em seu início de gestão na Confederação.

Além disso, Vicente também cogitou fazer algumas mudanças em cargos estratégicos e incomodou novamente o mandatário da Confederação.

Marco Polo não gostou das atitudes daquele que fora indicado por confiança e considerou a situação uma traição. Tão logo se encerrou o recesso de final de ano, na última segunda, o presidente licenciado foi à sede da entidade e passou a acompanhar de perto o movimento da Confederação. Nesta terça, a confirmação das mudanças.

Em contato com a reportagem do UOL por mensagem de texto, Marcus Vicente negou divergências com Marco Polo Del Nero. Igualmente procurado, o secretário-geral e porta-voz da CBF, Walter Feldman, se esquivou ao comentar a possibilidade de concretização da manobra e licença para que Coronel Nunes assuma o poder. "Só a História um dia saberá", disse.

Fonte: UOL esporte