Pinhalzinho

31º

19º

Maravilha

29º

19º

São Miguel do Oeste

29º

19º

Chapecó

30º

18º

75 anos de Pelé

Não era um, 23 de outubro qualquer. Tão pouco um 1940 que passaria em branco na história. Três Corações em Minas Gerais. Poderiam, naquele dia, o seo Dondinho e a dona Celeste pensar que trariam ao mundo um Rei? Edison Arantes do Nascimento ou simplesmente Pelé!

Em 1956, o menino foi levado para o Estado de São Paulo. O município de Santos o acolheu e o escudo era o do Santos FC. Com o manto branco e preto e um número 10 nas costas conquistava a tudo e a todos. Batalhas eram vencidas e guerras eram paradas. A coroação era apenas questão de tempo. A glória de ser o melhor e incomparável por toda uma eternidade. Sem parâmetros ou paradigmas. Sem qualquer comparação. Um simples homem, que ganhou o dom da imortalidade.

O resto da história todos contam, os livros eternizam, a memória dos que tiveram a honra de presenciar ainda guarda.

Edison Arantes do Nascimento. 75 anos de vida. Rei do Futebol. Maior atleta de todos os tempos. E tantos feitos.

Pelé diz que está bem de saúde “Graças a Deus eu me sinto bem de saúde. Todos sabem que sou um homem de Três Corações”.

Pelé e o Santos:

O último gol marcado pelo eterno Rei Pelé, no Estádio Urbano Caldeira, com a camisa do clube que ele tanto ama, o Santo FC aconteceu no dia 02 de maio de 1974 em partida valida pelo campeonato nacional contra o Rio Negro FC na vitória santista pelo placar de 3 a 0 com um gol dele e dois de Brecha com o Peixe formado com: Cejas; Hermes, Vicente, Bianque e Zé Carlos; Léo Oliveira e Brecha; Fernandinho, Nenê, Pelé (Adílson) e Mazinho. Técnico Tim.

O último gol marcado pelo eterno Rei Pelé, fora da Vila Belmiro, com a camisa do Peixe, foi no dia 22/09/1974 no paulista na cidade de Campinas no Brinco de Ouro, no empate santista diante do Guarani FC pelo placar de 2 a 2 com o Rei marcando os dois gols do Peixe.                                                               Jogando pelo Santos FC em partidas da equipe principal o Rei atuou em 1116 partidas tendo marcado 1091 gols. A primeira partida em que o Rei atuou foi um amistoso no estádio Américo Guazzelli na cidade de Santo André no dia 07/09/1956 na vitória esmagadora sobre uma equipe de mesmo nome do nosso arquirrival da capital paulista pelo placar de 7 a 1 com ele marcando um dos gols da histórica jornada.

A última vez em que vestiu a camisa que ele tanto ama foi no dia 01/10/1977 na cidade de Nova York nos EUA na derrota diante do New York Cosmos pelo placar de 2 a 1 com Reinaldo marcando para o Peixe e ironicamente Pelé e Mifflin marcando para o adversário, nesta partida festiva em que o Rei disse adeus definitivo ao futebol o Atleta do Século jogou meio tempo para o Santos e meio tempo para o time americano e o gol por ele marcado para os “gringos” foi de falta, o time santista que nesse dia era dirigido por Oto Glória formou com: Ernani; Fernando, Joãozinho, Alfredo e Neto; Zé Mário, Aílton Lira (Pelé) e Carlos Roberto; Nilton Batata, Reinaldo (Juary) e Rubens Feijão (Bianque).

Na chamada Era de Ouro do Santos FC que durou da estreia do Rei em 1956 até o dia 02/10/1974 quando ele disse adeus ao futebol no Brasil o time santista jogou 1452 partidas com 911 vitórias, 274 empates e 267 derrotas. Nesse período o Alvinegro marcou 3.864 gols e sofreu 1912 gols. Pelé portanto marcou 28,42% dos gols e disputou 76,17% das partidas jogadas pelo time praiano.

Títulos do Rei Pelé com a camisa do Santos FC:
1958 – Campeão Paulista
1959 – Campeão do Torneio Pentagonal do México
1959 -Campeão do Torneio Tereza Herrera
1959 – Campeão do Torneio de Valência
1959 – Campeão do Torneio Rio-São Paulo
1959 – Campeão do Torneio da Costa Rica
1960 – Campeão Paulista
Campeão do Torneio Gialorosso
Campeão do Torneio Quadrangular de Lima
Campeão do Torneio de Paris
1961 – Campeão Paulista de Futebol
Campeão Brasileiro (Taça Brasil)
Campeão do Torneio Itália/61
Campeão do Torneio de Paris
Campeão do Torneio da Costa Rica
Campeão do Torneio Pentagonal de Guadalajara
1962 – Campeão Paulista de Futebol
Campeão da Taça Libertadores da América
Campeão Mundial Interclubes
Campeão Brasileiro (Taça Brasil)
1963 – Campeão da Taça Libertadores da América
Campeão Mundial Interclubes
Campeão do Torneio Rio-São Paulo
Campeão Brasileiro (Taça Brasil)
1964 – Campeão Brasileiro (Taça Brasil)
Campeão Paulista
Campeão do Torneio Rio-São Paulo
1965 – Campeão Paulista
Campeão Brasileiro
Campeão do Torneio da Venezuela
Campeão do Torneio Hexagonal do Chile
1966 – Campeão do Torneio Rio-São Paulo
Campeão do Torneio de Nova York
1967 – Campeão Paulista
1968 – Campeão do Torneio da Amazonia
Campeão Paulista
Campeão da Recopa Sulamericana
Campeão Brasileiro
Campeão do Torneio Pentagonal de Buenos Aires
Campeão do Torneio Octogonal do Chile
1969 – Campeão Paulista
Campeão da Recopa Mundial
1970 – Campeão do Torneo Hexagonal do Chile
1971 – Campeão do Torneio da Jamaica
1973 – Campeão Paulista
1975 – Campeão do Torneio Laudo Natel
Campeão do Torneio Governador Roberto Santos
Pelé foi o artilheiro máximo nos paulistas nos anos de :
1957 a 1965 – 1969 e 1973 ( 11 vezes).

O amigo Pepe o definiu:

“O 23 de outubro é uma data mundialmente conhecida”. Assim, José Macia, o Pepe, amigo e ex-companheiro do maior ataque de todos os tempos, define o aniversário de Pelé.

Aos 80 anos, Pepe lembra muito bem do dia em que conheceu o futuro Rei do Futebol. “Era 1956 e me avisaram que um garoto tinha chegado para treinar. Ele me deu um aperto de mão forte. Percebi na hora que o menino tinha chegado com vontade. Nos primeiros dias já fazia muitos gols. Urubatão, zagueiro que o marcava nos treinos, me chamou e disse que ele seria o maior jogador do Brasil. Errou. Foi o maior de todos os tempos”.

O ex-jogador Pepe, segundo maior artilheiro da história do Clube com 405 gols em 750 jogos, viveu muitos momentos ao lado de Pelé. E não encontra outra definição para o Rei. “Ele era perfeito. Nunca existiu um jogador igual. Ele dominava todos os fundamentos. Ele é de outro planeta.”

Parabéns ao nosso eterno rei do futebol:

Fonte: Ascom Santos F. C.