Pinhalzinho

26º

19º

Maravilha

28º

19º

São Miguel do Oeste

28º

19º

Chapecó

26º

16º

Zootecnia de Precisão

    Ainda pode ser novidade para muitos, mas a precisão também chegou a zootecnia e produção animal. Atualmente, a Agropecuária está sendo duplamente pressionada para atender à demanda de alimentos para a crescente população humana e reduzir os efeitos das mudanças climáticas tornando-se ao mesmo tempo mais eficiente e mais sustentável.

    Para atender a esta demanda de maneira eficiente, mais animais deverão ser criados em menor área, com menos alimentos, menor desperdício e menos água, ou seja, em sistemas de criação mais intensificados. Porém o bem-estar animal não pode ser esquecido. Então, uma ferramenta para alcançar esta produção eficiente é a zootecnia de precisão, que busca soluções de gestão baseados no uso de sensores para monitoramento de animais e de características bioclimáticas. O objetivo da zootecnia de precisão deve ser atuar para a redução da mortalidade, redução de perdas e manutenção dos animais em condições que os tornam menos propensos a serem feridos ou atingidos por doenças, condições as quais, muitas vezes, são exatamente as que melhoram o bem-estar dos animais.

    Melhorar a qualidade do ar através de uma boa ventilação ou a instalação de um piso de qualidade, por exemplo, são fatores que diminuem o risco de redução do nível de bem-estar animal, e ainda podem resultar em um melhor e mais seguro produto final, o leite. E é importante que novas tecnologias sejam desenvolvidas juntamente com a indústria e com os produtores avaliando se realmente as elas estão de acordo com as necessidades, possibilitando a visualização dos resultados e permitindo que ajustes sejam realizados para a melhor adaptação aos diversos sistemas de produção.

    Filmagens dos animais associadas a softwares de interpretação de imagens já se mostram eficientes para identificar vacas com problemas de casco em estágio inicial, detectar padrões de comportamentos que possibilitem identificar vacas em cio, primeiros sinais de pré-parto ou até mesmo sintomas precoces de doenças. Tudo isso pode estar interligado e ser acessado por um smartphone, através do qual mensagensde alerta e relatórios diários podem ser recebidos.

    A detecção de problemas de saúde e de bem-estar animal em uma fase precoce tem grande importância também para o produtor, pois favorece a realização de intervenções necessárias antes que o problema se agrave. Não podemos esquecer que não há câmera ou smartphone que substitua um bom olhar humano, mas permite um olhar extra para quando e onde não se pode estar presente ou ainda quando a comunicação entre os seres humanos é falha. O que realmente importa é a tomada de decisão e a atitude do produtor frente a todas estas informações.

    Essa abordagem que relaciona o bem-estar animal e a pecuária leiteira comercialmente eficiente, não retira argumentos éticos que o bem-estar animal deve ser apoiado, pois tem valor ético em si mesmo, mas reforça e consolida-os. Tratar dos benefícios financeiros que o bem-estar animal traz para os seres humanos mostra que não se deve apenas esperar melhorias através da pressão dos consumidores. Fazer do bem-estar animal uma prioridade na pecuária leiteira eficiente é muito mais provável de ser alcançada se ele puder ser firmemente ligado à segurança alimentar, saúde animal e humana e competitividade financeira.