Pinhalzinho

26º

17º

Maravilha

24º

15º

São Miguel do Oeste

24º

15º

Chapecó

27º

17º

Taxa de câmbio e agropecuária

      Por muitas vezes ouvimos as expressões taxa de câmbio, valor do dólar e esses valores provocam alterações para a cadeia agropecuária, seja na compra de insumos, seja na venda dos produtos finais. Segundo o Banco Central do Brasil (BCB), taxa de câmbio é o preço de uma moeda estrangeira medido em unidades ou frações (centavos) da moeda nacional, ou seja, é a taxa de câmbio pela qual duas moedas de países diferentes podem ser trocadas (cambiadas).

      No Brasil como ocorre em praticamente todo mundo, a moeda mais utilizada é o dólar norte-americano, sendo essa moeda utilizada como referência de cotação no meio financeiro nacional e mundial. Como exemplo, quando dizemos que a taxa de câmbio é de 2,50, significa que um dólar dos Estados Unidos custa R$ 2,50. As cotações apresentam taxas para a compra e para a venda, que são definidas do ponto de vista do agente autorizado a operar no mercado de câmbio pelo BCB, o BCB não fixa taxa de câmbio, apenas coleta e divulga as taxas médias praticadas que servem como referência para operações. As taxas de câmbio praticadas no mercado de câmbio brasileiro podem ser acessadas diariamente via internet, na página do BCB, ou ainda podem ser consultadas séries históricas relativas.

      A taxa de câmbio, assim como todo preço, é determinada pela lei da oferta e demanda, como exemplo, se a demanda é maior que a oferta, o preço do dólar em reais sobe, se a oferta é maior que a demanda, o preço cai. Existem inúmeros fatores que influenciam na oferta/demanda, por isso existe uma grande dificuldade dos economistas em prever o comportamento da taxa de câmbio. O que não resta dúvidas é a importância da taxa de câmbio na agropecuária, principalmente referindo-se ao comércio internacional das grandes commodities.

       As operações de câmbio são realizadas em locais denominados mercado de câmbio ou mercado cambial, que são locais que envolvem a negociação de moedas estrangeiras e os interessados em negociar com essas moedas, comprando e vendendo conforme suas necessidades. No Brasil, esse mercado é dividido em dois segmentos: o mercado livre ou também denominado comercial, utilizado por empresas que desejam realizar operações de importação e exportação, ou ainda investimentos estrangeiros no país, transferências financeiras, etc. E o mercado flutuante ou também denominado de turismo, esse modelo é o mais utilizado no mundo, inclusive no Brasil. Esses dois mercados são regulamentados e fiscalizados pelo BCB, existe um terceiro segmento, denominado mercado paralelo, que não é regulamentado, ilegal, sujeitando seus participantes às sanções legais cabíveis.

      Por fim, destaco a importância das taxas de câmbio no processo de desenvolvimento econômico. A macroeconomia, taxas de juros e de câmbio, podem definir os rumos da sociedade, se está em direção ao progresso ou atraso. Nos países em desenvolvimento há uma forte tendência de valorização da taxa de câmbio, pois podem ser exportadores de itens básicos, atrativos de investimento estrangeiro, ativos financeiros atraentes e dessa forma promoverem seu crescimento e desenvolvimento econômico, promovendo a agropecuária no país.