Pinhalzinho

25º

11º

Maravilha

27º

11º

São Miguel do Oeste

27º

11º

Chapecó

25º

12º

Compost Barn (estábulo com compostagem)

    A escolha das instalações utilizadas para alojamento de vacas leiteiras deve ser realizada levando-se em consideração diversos fatores, entre os quais destacam-se: nível de intensificação desejado, potencial genético do rebanho, disponibilidade de capital, disponibilidade de área e capacidade de produção de alimentos e custo da terra. Todos estes fatores devem ser avaliados, pois podem afetar diretamente a produtividade e sanidade do rebanho, qualidade do leite, bem-estar animal e a rentabilidade da fazenda.

    No Brasil, existe uma grande diversidade de sistemas de produção de leite, desde aqueles baseados em pastagem (extensivos ou intensivos) até os sistemas confinados, entre os quais os mais utilizados são do tipo “free-stalls” e sistema de piquetes (loose housing). Recentemente, na última década, alguns produtores de leite dos Estados Unidos iniciaram o uso de um novo sistema de confinamento chamado “compost barn” (estábulo com compostagem). O “compost barn” é um sistema de confinamento alternativo do conhecido sistema “loose housing”, que visa primeiramente melhorar o conforto e bem-estar dos animais e, consequentemente melhorar os índices produtividade do rebanho. No Brasil esse novo sistema caminha a passos lentos, porém começa a ser visualizado algumas experiências e inclusive na nossa região já é possível observar a implantação do mesmo.

    Esse sistema é composto por uma grande área de cama comum (área de descanso), normalmente formada por maravalha ou serragem, separada do corredor de alimentação ou cocho por um beiral de concreto. O diferencial deste sistema é a compostagem que ocorre ao longo do tempo com o material da cama e a matéria orgânica dos dejetos dos animais. O processo de compostagem consiste em produzir dióxido de carbono (CO2), água e calor a partir da fermentação aeróbia da matéria orgânica. No compost barn, as fezes e urina das vacas fornecem os nutrientes essenciais (carbono, nitrogênio, água e microrganismos) necessários para que ocorra o processo de compostagem. O oxigênio usado na compostagem é proveniente da aeração diária que deve ser realizada na cama, o material deve ser revolvido duas vezes por dia, podendo ser usado trator com equipamentos específico, ou ainda microtrator.

    O sucesso do processo de compostagem depende da manutenção de níveis adequados de oxigênio, água, temperatura, quantidade de matéria orgânica e atividade dos microrganismos, que produzem calor suficiente para secar o material e reduzir a população de microrganismos patogênicos. A troca da cama pode ser feita uma vez por ano, mas desde que o manejo seja correto, fornecendo um excelente composto orgânico gerado na cama e ainda deve ocorrer a reposição de material frequentemente.

    Sobre o espaço por animal, a área por vaca deve ser rigorosamente respeitada para não comprometer a qualidade e decomposição das camas. A medida de 10m2 por vaca é para animais que produzem até 25 litros/dia. Acima disso, deve se acrescentar 1m2 a mais para cada 12 litros de aumento da média devido ao aumento de consumo de alimento e água, que resultará em mais dejetos. O custo inicial de instalação é de aproximadamente R$ 2 mil/vaca instalada.

    O sistema de Compost Barn funciona bem e o Brasil sem dúvida nenhuma tem os fatores necessários para seu bom funcionamento, mas certos detalhes, caso a caso, de construção e manutenção da cama são importantes e determinantes para o sucesso.