Pinhalzinho

32º

18º

Maravilha

31º

19º

São Miguel do Oeste

31º

19º

Chapecó

31º

18º

Nova Erechim registra queda na obesidade infantil

A Sua Voz - Carine Arenhardt

25/06/2016

___________________________________________________________________________________________

Professores de educação física medem altura e peso dos alunos (Foto: Carine Arenhardt)

A obesidade infantil atinge uma em cada três crianças no Brasil, de acordo com levantamento do IBGE, e estes quilinhos extras afetam diretamente a saúde dos pequenos, podendo causar complicações até a sua vida adulta. Os principais fatores responsáveis pela obesidade é a má alimentação, sedentarismo, e genética. Vale ressaltar que a genética herdada do pai ou da mãe não deve ser aceita como um fator determinante para que a criança também seja obesa. Nestes casos o cuidado com a alimentação e prática de exercícios se torna ainda mais fundamental.


Com o objetivo de diminuir os índices de obesidade infantil, o município de Nova Erechim trabalha com vários projetos e ações nas escolas municipais, e os resultados já são positivos. No período de abril de 2015 a abril de 2016, o Diagnóstico de Estado Nutricional, feito nas escolas municipais, apontaram queda nos índices de obesidade e sobrepeso entre as crianças, em comparação com o levantamento anterior, de abril de 2014 a abril de 2015.


A avaliação nutricional é feita com alunos da educação infantil até o ensino fundamental. Neste último diagnóstico o número de crianças que estão dentro do peso normal passou de 272 para 313; já o número de crianças com risco de sobrepeso caiu de 35 para 24; com sobrepeso teve queda de 82 para 66; com obesidade baixou de 45 para 44; e com obesidade grave de 14 para 13.


Conforme a nutricionista, responsável técnica do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), Midian Zancanaro da Silva, foi um bom resultado, e para os próximos anos o objetivo é diminuir ainda mais estes índices. Ela ressalta que a queda da obesidade e sobrepeso infantil é resultante de um trabalho inovador realizado no município, em conjunto por professores, merendeiras, serventes, e nutricionista. A atenção é voltada principalmente para a quantidade e qualidade da alimentação servida na escola.
Entre as ações inovadoras está a implementação do café da manhã para alunos que frequentam as escolas no período matutino. Logo ao chegarem na centro de educação, os estudantes recebem um lanche ( um breve café da manhã), e o objetivo é que eles não sintam tanta fome na hora do lanche principal, se alimentando de uma forma mais saudável e controlada. Esta ação foi implantada ainda em 2014.


Além de recebem acompanhamento durante o lanche, os alunos tem disciplina de educação nutricional em sala de aula, onde aprendem sobre a importância de alimentação saudável. As escolas também realizaram projetos específicos com crianças que já estão acima do peso. Midian destaca que a obesidade infantil é um problema sério, e já detectado nas crianças pequenas, que ainda frequentam a creche. "A gente percebe que quando a criança pequena já apresenta sobrepeso ou obesidade, este problema vai se agravando com o passar dos anos. Se essa criança não recebe uma atenção especial a obesidade ou sobrepeso vai aumentando com seu crescimento", destaca.

 

Novo projeto tem foco nos pais
A escola vem fazendo sua parte, mas se o trabalho de combate a obesidade infantil não tiver continuidade na casa da criança, os resultados podem ser freados. E foi pensando nisso, que a Secretaria de Educação, Secretaria de Saúde, e Departamento de Nutrição, lançam neste ano um novo projeto: Todos contra a obesidade infantil.


Desta vez as ações são voltadas aos pais, que vão participar de quatro palestras, ministradas por um psicólogo, médico, nutricionista e educador físico. Cada profissional vai abordar, dentro da sua área, a importância de combater a obesidade e o caminho certo para obter resultados positivos. A primeira palestra será realizada já em junho deste ano, e as demais nos meses seguintes, encerradas em setembro.


O objetivo é conscientizar as famílias sobre o trabalho desempenhado na escola de combate a obesidade, e como este pode ter continuidade na casa de cada criança. "Já tivemos bons resultados nesta última avaliação nutricional dos nossos alunos, mas queremos mais, e para isso precisamos do apoio dos pais", ressalta Midian.

 

Aulas de educação física e capacitação de merendeiras
Também fazendo parte das ações de combate a obesidade, o município promove anualmente a capacitação das merendeiras, que preparam a alimentação servida na escola, com aprendizagem de novas receitas e uso de alimentos mais saudáveis. Outra ação é compra de alimentos da agricultura familiar para a merenda escolar. Além de incentivar a produção dos agricultores, a compra direta da agricultura familiar oferece alimentos mais saudáveis para os alunos.


As aulas de educação física são mais um complemento. Conforme Midian todas as crianças da rede municipal participam das aulas de exercício físico, um fator importante no combate a obesidade e sobrepeso. Os alunos com idade entre 1 a 3 anos têm aulas de educação física todos os dias, os de 4 a 5 anos tem quatro dias por semana, e do ensino fundamental três dias durante a semana. Os professores de educação física também são responsáveis por medir a altura e pesar os alunos, para o controle do estado nutricional das crianças.