Pinhalzinho

21º

19º

Maravilha

22º

19º

São Miguel do Oeste

22º

19º

Chapecó

19º

17º

“Uma vida com drogas é como uma casa suja, com ratos”

JORNAL A SUA VOZ

12/07/2018

___________________________________________________________________________________________

Polícia Civil orienta crianças de projeto Social em Pinhalzinho

 

Não é de hoje que as autoridades vêm apostando na educação e conscientização das crianças como uma estratégia muito eficaz para a formação de adultos responsáveis e honestos. Baseada nesse princípio, a Polícia Civil de Pinhalzinho, sob comando do Delegado Arthur Lopes, enviou dois agentes para um momento lúdica com alunos do Projeto Escola Viva no Bairro Jardim Maria Terezinha, em Pinhalzinho, na última semana.

 

O convite partiu da direção da Escola Municipal de Educação Básica Maria Terezinha em parceria com o professor Marcelo Siqueira. Ele salienta que acredita com convicção, que a orientação das crianças ajuda-os a tomar decisões certas no futuro. Nascido naquela comunidade Marcelo destaca que foi ao apoio das pessoas que acreditaram nele e seus familiares, que teve oportunidade de seguir uma vida correta e acreditar em seus objetivos até alcançá-los. “Por essa razão é que eu quero apoiar e levar direcionamento às crianças do meu bairro”, afirma.

 

Atentos os pequenos estudantes ouviram os ensinamentos dos agentes. “Utilizamos uma linguagem lúdica, comparando as drogas à um monstro que vive na escuridão, ressaltando que a vida de um drogado é como uma casa suja, cheia de ratos. Isso porque a maioria das pessoas dependentes de drogas vive literalmente em meio à sujeira e em condições degradantes de vida”, relata o agente.

 

Ele pontua também que as crianças foram orientadas sobre como devem reagir quando convivem ou são abordadas por outros usuários ou traficantes. “Explicamos a eles que nem todo mundo é do bem é que quem lhe oferece drogas não é seu amigo, pois vai te legar para o pior caminho possível”.

 

Conforme o agente o intuito foi alertar as crianças a manterem-se longe das drogas, não aceitando jamais experimentar, mesmo que seja de graça. “Lançamos sementes na vida deles. O fruto só conheceremos no futuro”, finaliza o agente.